Home Bcn Bolsonaro diz que nº de mortos na ditadura é igual ao do Carnaval

Bolsonaro diz que nº de mortos na ditadura é igual ao do Carnaval

4 primeira leitura
0

Em entrevista à rádio CBN na quinta-feira (11), o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) disse que o número de mortos e desaparecidos durante o período da ditadura militar é comparável ao de vítimas durante o Carnaval. O candidato ainda ironizou a classificação do período como “ditadura militar” ao dizer que a imprensa trabalhava com liberdade.

“Comparar o que aconteceu entre 1964 e 1985 a uma ditadura é o fim da picada. Desapareceram 400. Morreram pessoas em que circunstâncias? Hoje morre isso no Carnaval e e não se fala nada”, disse Bolsonaro.

Relatório da Comissão Nacional da Verdade apontou 434 mortos no período entre 1946 e 1988. Em 2018, 103 pessoas morreram nas estradas no período do Carnaval.

Ele também defendeu aquele que identifica como seu ídolo, o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, acusado por familiares de mortos na ditadura, ex-presos políticos e pelo Ministério Público Federal de crimes como torturas, assassinatos e desaparições forçadas.

“Quando você fala no coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, não teve nenhuma condenação transitada e julgada contra ele. Você não pode acusá-lo disso. Agora, o outro lado que cometeu barbaridades vocês nunca condenam. Eu sempre falei que houve excessos dos dois lados. Não defendo ditadura nenhuma, até porque ditadura militar, onde aparece a TV Globo em 1965 e revista Veja em 1968, a imprensa funcionava a todo vapor, pelo amor de Deus”, afirmou Bolsonaro.

Leia também: Bolsonaro anuncia três ministros, critica a mídia e reafirma bandeiras

Sobre a série de agressões que têm sido atribuídas a seus eleitores, ele disse que não quer voto de pessoas que incentivam a violência, mas recusou-se a responsabilizar-se pelos atos.”Foram 48 milhões de pessoas que votaram em mim, você quer que eu me responsabilize por elas?”.

O candidato também disse não ter controle sobre as “fake news” favoráveis a ele e críticas ao concorrente Fernando Haddad (PT).

Sobre sua ausência em debates, dos quais têm evitado participar, ele foi além da recomendação médica e apontou outros motivos para não se encontrar com o adversário.

“Vou debater com Haddad ou com o Lula? Qual a autenticidade do Haddad?”, argumentou.

Fonte: Msn

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Bcn

Veja Também

Ataque de Fernando Haddad ao Bispo Macedo provoca indignação em mais de 140 líderes religiosos

Haddad chamou Edir Macedo de ‘charlatão fundamentalista’ Declaração do candida…