Home Bcn Câmara adia para quarta-feira reunião que deve decidir sobre cassação da Maluf

Câmara adia para quarta-feira reunião que deve decidir sobre cassação da Maluf

7 primeira leitura
0

Foto: Leonardo Benassatto

Inicialmente, reunião da Mesa Diretora estava prevista para a tarde desta terça-feira (7). O motivo do adiamento da decisão não foi informado pela assessoria da Câmara.

 

A Câmara dos Deputados adiou para quarta-feira (8) a reunião da Mesa Diretora que deverá decidir sobre a cassação do mandato do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP). Inicialmente, a reunião estava prevista para a tarde desta terça (7).

O motivo não foi informado pela assessoria de imprensa da Câmara. A nova reunião está prevista para as 9h e deverá ser na residência oficial da Presidência da República.

Preso desde dezembro por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), Maluf cumpre a pena em regime domiciliar por causa do seu estado de saúde.

Ele foi condenado a 7 anos e 9 meses de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro durante sua gestão como prefeito de São Paulo, entre 1993 e 1996. A decisão do STF também prevê a perda do mandato parlamentar.

No entanto, a Câmara ainda não o cassou argumentando que havia dúvida se o processo tinha transitado em julgado, quando não cabe mais nenhum recurso. A Câmara, então, questionou o Supremo.

Em uma certidão datada de 8 de junho, a qual o G1teve acesso, o Supremo detalha o andamento processual e afirma que, em dezembro, o processo transitou em julgado. Em seguida, cita que, em abril, a Suprema Corte entendeu que um recurso da defesa questionando o teor da sentença não poderia ser analisado.

A certidão do STF também informa que a íntegra da decisão desse julgamento de abril ainda não foi publicada.

Para a defesa de Maluf, o processo não poderia ser considerado encerrado. Em petição enviada à Câmara, os advogados argumentam que ainda falta a publicação do último acórdão (decisão final), ao qual, em tese, caberia recurso.

A defesa também alega que o fato de a Suprema Corte ter analisado um pedido da defesa em abril suspendeu o trânsito em julgado decretado em dezembro, o que fez com que o processo voltasse a tramitar normalmente.

A defesa solicitou e foi autorizada a participar da reunião.

A mesa diretora da Câmara é composta por sete integrantes titulares, incluindo o presidente, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), além de quatro suplentes.

O entendimento de técnicos é de que bastará maioria simples entre os presentes para declarar a perda do mandato. Ou seja, se a reunião tiver apenas cinco deputados, um placar de 3 a 2 seria suficiente.

Os parlamentares deverão decidir em cima de um parecer elaborado pela Corregedoria a partir da decisão do STF.

Plenário

A decisão do Supremo determina expressamente que, no caso de Maluf, a perda do mandato seja declarada pela Mesa Diretora.

No entanto, no entendimento da assessoria jurídica da Câmara, a perda do mandato de um parlamentar só pode ser determinada pelo plenário da Casa.

A Câmara chegou a entrar com uma ação no STF, que ainda não foi julgada, questionando a quem cabe a decisão final sobre a cassação do mandato de deputados.

Conselho de Ética

Paralelamente ao processo na Mesa Diretora, Paulo Maluf é alvo de uma investigação no Conselho de Ética.

A representação foi apresentada pelo partido Rede Sustentabilidade em fevereiro e pede a cassação do mandato do deputado do PP por entender que a condenação é fato grave e configura quebra de decoro.

Fonte: G1

Carregar mais por Bcn

Veja Também

Polícia Civil deflagra ação de combate ao tráfico próximo de escolas

Coordenada pelo Conselho dos Chefes de Polícia Civil, operação Anjos da Lei contou com par…