Os sindicatos programaram 36 dias de greve intermitente, com duas jornadas por semana

 

 

A greve dos funcionários do sistema ferroviário já custou 100 milhões de euros à SNCF, a empresa estatal de trens da França, afirmou o diretor geral da companhia, Guillaume Pepy. “O custo da greve é de quase 20 milhões de euros por dia”, afirmou Pepy à imprensa.

Os sindicatos convocaram a greve para protestar contra uma reforma anunciada pelo governo de Emmanuel Macron, que pretende modificar os estatutos da SNCF e de seus funcionários.

Os sindicatos programaram 36 dias de greve intermitente, com duas jornadas por semana, até o fim de junho. As manifestações começaram em 3 de abril. Nesta segunda-feira (9) , quarto dia de greve, apenas um de cada cinco trens de alta velocidade (TGV) circulavam na França.

O governo afirma que não recuará no projeto de reforma. Os sindicados alegam ter um grande apoio público, com mais de 510.000 euros prometidos em um fundo para compensar a perda salarial dos funcionários em greve. O presidente Emmanuel Macron, que não falou publicamente sobre o conflito, concederá uma entrevista coletiva na quinta-feira.

Fonte: Diário de Pernambuco