Foto: Rodrigo Paneghine

Sérgio Sobrane elogiou os homens, mulheres e cães que trabalharam por 13 dias no Largo do Paissandu

 

Por Rodrigo Croos e Rodrigo Paneghine

O secretário-adjunto da Segurança Pública, Sérgio Turra Sobrane, participou, na manhã desta segunda-feira (11), de uma sessão solene em homenagem ao Corpo de Bombeiros, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

A homenagem foi proposta pelo deputado estadual Coronel Camilo em reconhecimento à atuação dos policiais no incêndio no prédio do Largo do Paissandu.

“Recebam os agradecimentos em meu nome, no do secretário Mágino Alves Barbosa Filho, e em nome do governador Márcio França”, afirmou Sobrane. “A prontidão dos heróis do fogo garantiu que a tragédia fosse minimizada. Se não fosse o heroísmo dos bombeiros, o ocorrido poderia ter sido pior”.

Os profissionais que atuaram na ocorrência receberam a Medalha da Constituição – uma das mais altas honrarias concedidas pela Alesp. A comenda é dada àqueles que se destacam em serviços de assistência à população.

Do posto Vila Mariana, do 1º Grupamento de Bombeiros (GB), foram agraciados os sargentos Diego Pereira da Silva Santos e Caio Salgado Cora, com os soldados Esio Lemes Beirigo, Everton Henrique Santos de Freitas e Luciano Fernandes da Silva Costa.

Ainda do 1º GB, do Posto Ipiranga, os cães que ajudaram na busca por sobreviventes também receberam a medalha simbólica “Cão Herói” e diversos petiscos. Foram condecorados os pastores Belga de Malinois Hope, Moly e Vasty, e os labradores Sarah e Wiki.

Também foram homenageados os comandos de policiamento de Trânsito (CPTran), de Choque (CPChq) e de Área Metropolitano 1 (CPA/M-1), que ajudaram no incêndio.

A ocorrência

Na madrugada do dia 1º de maio, durante um incêndio, o Edifício Wilton Paes de Almeida desabou no Largo do Paissandu, centro da Capital. Cerca de 500 bombeiros se deslocaram para o local oferecendo ajuda. Muitos, mesmo de folga, fizeram questão de comparecer.

Emocionado, o comandante-geral da PM, coronel Marcelo Vieira Salles, ressaltou a delicadeza da situação. “A ocorrência envolveu famílias humildes. Este é um problema social que nós paulistas temos que olhar e a ação dos heróis do fogo fez a diferença. Todo o Estado de São Paulo deve muito a estes homens e mulheres do Corpo de Bombeiros”.

Foram 13 dias consecutivos de buscas por sobreviventes e retiradas dos escombros. Mais de 1.700 bombeiros atuaram 24 horas por dia no incêndio que causou o desabamento do edifício de 22 pavimentos.

“Ações como essa mostram porque o Corpo de Bombeiros tem 97% de aprovação entre as profissões”, afirmou o comandante da corporação, coronel Eduardo Rodrigues Rocha. “Contem sempre com os bombeiros, que estão sempre preparados para proteger a população, mesmo que com o sacrifício da própria vida.

As investigações sobre as causas do desabamento continuam pelo 3º Distrito Policial (Campos Elíseos), que encaminhou o inquérito à Justiça, na última quarta-feira (6), com pedido de prazo para continuidade das investigações.

Fonte: SSP SP
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Cidade

Veja Também

Centenas de jornais dos EUA publicam editorial com críticas a Trump por ataques à imprensa

Foto: Reprodução/Internet/BCN Centenas de jornais dos Estados Unidos dedicaram espaço em s…