Home Brasil STF começa julgamento contra senadora Gleisi Hoffmann

STF começa julgamento contra senadora Gleisi Hoffmann

4 primeira leitura
0

Foto: Leonardo Benassatto

Senadora é acusada de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, ao lado do ex-ministro Paulo Bernardo e o empresário Ernesto Kugler

 

 

A Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) começou o julgamento da senadora Gleisi Hoffmann (PT), acusada de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Também são julgados o ex-ministro Paulo Bernardo (PT), marido de Gleisi, e o empresário Ernesto Kugler. Todos são réus na mesma ação.

As investigações contra Gleisi começaram com base nas delações do Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Os delatores afirmaram que Paulo Bernardo pediu R$ 1 milhão a Paulo Roberto para a campanha de Gleisi ao Senado em 2010. Este valor teria sido entregue por um intermediário de Youssef a Ernesto Kugler, empresário conhecido do casal.

A expectativa é que o julgamento dure mais de um dia, assim como foi do deputado Nelson Meurer (PP). O relator do caso, o ministro Edson Fachin, é o primeiro a ler o parecer, seguido do Ministério Público, os advogados dos réus e, por fim, os ministros da Segunda Turma, que vão expor os votos.

Defesa dos réus

A senadora Gleisi Hoffmann, por nota, disse que recebeu com serenidade a notícia do julgamento e que foi “injustamente denunciada, sem qualquer prova ou indício de crime”.

Ela ainda disse que “há quatro anos, aguardo o desfecho dessa trama. Nada vai apagar o sofrimento causado a mim e a minha família, os danos a minha imagem pessoal e política, mas vejo com alívio o dia em que a Justiça terá a oportunidade de me absolver e restaurar a verdade”.

A advogada Verônica Sterman, que representa o Paulo Bernardo, disse que vai esperar o julgamento para comentar sobre o caso. À época da denúncia, a defesa do ex-ministro disse que as delações premiadas que geraram a ação penal têm versões desencontradas.

Também à época da denúncia, o advogado de Ernesto Kugler, José Carlos Cal Garcia, disse que não foram apresentadas provas de que ele tenha participado de qualquer entrega de dinheiro.

Fonte: R7

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Brasil

Veja Também

Ataque de Fernando Haddad ao Bispo Macedo provoca indignação em mais de 140 líderes religiosos

Haddad chamou Edir Macedo de ‘charlatão fundamentalista’ Declaração do candida…