Fotos Públicas/Fernanda Carvalho

E para quem vai viajar para o exterior em julho, confira as dicas para driblar a alta da moeda norte-americana

O dólar chegou a cotação de R$ 3,62, maior alta nos últimos dois anos. Influência, entre outros fatores, da alta dos juros nos Estados Unidos e da incerteza com relação ao cenário político, em especial às eleições presidenciais no Brasil.

E quem pretende viajar nos próximos meses? O que fazer?

PUBLICIDADE

Para quem planejou viagem para a Rússia, de acordo com Mathias Fischer, diretor de estratégia e inovação da plataforma digital Meu Cambio, o turista terá uma economia de 10% se comprar euros no Brasil e trocar por rublos lá. “O dólar tem uma demanda menor por lá, a troca de euros por rublos é mais fácil e mais econômica”.

Outra dica: fuja do cartão de crédito. Primeiro porque não é possível saber qual a cotação da moeda norte americana no fechamento da fatura. Segundo porque tem o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) e, por fim,  a cereja do bolo: as taxas cobradas pelas operadoras.

“É preciso tomar cuidado principalmente se a viagem for para um país onde a moeda utilizada não é o dólar. As operadoras de cartão de crédito convertem o valor da compra para a moeda americana e cobram uma taxa de 4,5% a 5%, depois convertem para o real e, mais uma vez, cobram taxas, ” diz Fischer.

Para quem pretende viajar em julho para o exterior? Ou precisa comprar dólar agora?

Bernardo Pascowitch, da Yubb, orienta a procurar pela melhor taxa de câmbio. Claro, não existe milagre, a moeda está alta, mas faz diferença comprar em uma casa de câmbio no aeroporto ou em uma casa de câmbio menor. “As fintechs podem fazer essa varredura e avaliar qual a menor taxa, essa é uma economia interessante neste momento”.

Outra dica valiosa é comprar a moeda aos poucos. “Para quem vai embarcar em um mês e pretende comprar R$ 10 mil, por exemplo, deve comprar R$ 2.500 por semana, assim consegue uma média estatística, a semana em que a cotação estiver mais baixa compensa a aquela mais alta”.

Se a viagem estiver programada para dezembro ou janeiro, vale investir metade do valor em uma aplicação com vencimento para 181 dias, que tem uma alíquota de imposto menor. E a estratégia para a outra metade é comprar aos poucos.

Fonte: R7

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Bcn

Veja Também

O Corinthians foi valente. Mas o Cruzeiro calou o Itaquerão

A merecida festa cruzeirense. Título que calou o Itaquerão/Cruzeiro Mano Menezes montou se…