A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados abriu, pouco antes das 15h, a reunião em que o deputado Sergio Zveiter (PMDB-RJ) realiza a leitura de seu parecer a respeito da admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) por corrupção passiva.

Na sessão, o Zveiter está sentado entre o presidente da Comissão, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), e o advogado de Temer, o criminalista Antonio Claudio Mariz de Oliveira. A expectativa da base aliada é que, mesmo sendo sendo do mesmo partido do presidente, Zveiter vote pela autorização do julgamento. No início da CCJ, Rodrigo Pacheco defendeu que o trabalho da Comissão ocorra em “alto nível”.

— A nossa pretensão é fazer dessa reunião um campo fértil de ideias, obviamente com algum tipo de acirramento que pode ocorrer.

Planalto e base esperam relatório pró-denúncia

No início da sessão, o deputado Alessando Molon (Rede-RJ) solicitou que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, seja ouvido ao longo da análise da denúncia no Colegiado. O pedido foi considerado como “incabível” pelo presidente da CCJ. Segundo Pacheco, a acusação “fala através da denúncia” apresentada no STF.

— Se houver necessidade da Câmara ouvir o procurador-geral da República para explicar os motivos pelos quais ele ofereceu a denúncia ou fazer algum aclaramento, isso já indicaria a inépcia da denúncia. Então, não é cabível esta posição.

Neste domingo, a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, rejeitou a mandado de segurança apresentado por Molon e pelos deputados Afonso Antunes da Motta (PDT-RS) e André Figueiredo (PDT-CE) para que Janot fosse ouvido pelo Colegiado.

Cármen Lúcia mantém andamento de denúncia contra Temer em comissão da Câmara

Os deputados Ivan Valente (PSOL-SP), Chico Alencar (PSOL-RJ) e Major Olímpio (SD-SP) questionaram a substituição de membros da comissão, prática que vem sendo adotada pela base do presidente Michel Temer para barrar a denúncia no colegiado. Ao comentar as falas dos parlamentares, Pacheco afirmou que a substituição de membros na CCJ cabe às lideranças partidárias.

Após a apresentação de todas as questões de ordem, o deputado Sergio Zveiter começou a leitura de seu parecer.

Fonte: R7

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn