Aos 86 anos, o compositor e gaitista carioca Maurício Einhorn continua fazendo música. No segundo semestre de 2018, o artista compôs com o guitarrista Josevaldo Paes temas como Josevalsa e Sensacional na Ocidental, ambos ainda inéditos em disco.

Também através de Paes, Einhorn reencontrou músicas compostas nos anos 1950 em parceria com Arnaldo Costa. São os casos de Burlesque e de Valsa simples, composições registradas somente em fitas caseiras e nunca gravadas oficialmente em disco.

Para quem não liga o nome ao som, Maurício Einhorn é o compositor parceiro de Durval Ferreira (1935 – 2007) em músicas como Batida diferente (1962) e Estamos aí (1963, esta feita com a adesão de Regina Werneck). Trata-se de dois standards do repertório do samba-jazz, gênero derivado da Bossa Nova surgido nas boates das cidades de Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP) na primeira metade da década de 1960.

Como músico, Einhorn sempre associou o toque da gaita ao samba-jazz. E é nesse balanço da bossa instrumental que o artista apresenta as músicas inéditas em disco – tanto as dos anos 1950 quanto as feitas em 2018 – em show programado para 11 de janeiro na casa Blue Note Rio. Nessa apresentação, Einhorn toca com o saxofonista argentino Hector Costita (à esquerda na foto) e com o parceiro Josevaldo Paes (à direita). Fonte: G1

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por BCN

Veja Também

Transporte público funciona parcialmente em dia de paralisação

Manifestantes voltam às ruas do país Diversas cidades brasileiras registram hoje (14) mani…