Mulher, de 24 anos, confirmou à Polícia Civil que entrou na casa, na Vila Formosa, em Presidente Prudente, à procura de algo para subtrair.

 

Uma mulher de 24 anos foi presa em flagrante nesta quinta-feira (3) suspeita de tentativa de furto em uma residência na Vila Formosa, em Presidente Prudente.

Ela foi detida pelas próprias vítimas – mãe e filho, de 50 e 20 anos –, moradoras do local, que em seguida acionaram a Polícia Militar.

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia Participativa da Polícia Civil, este foi o terceiro crime ocorrido no local desde o domingo (30).

No primeiro caso, um ladrão entrou na residência enquanto os moradores dormiam e furtou objetos do imóvel. Uma das vítimas chegou a ver o ladrão quando fugia pulando o muro da residência.

Na quarta-feira (2), também durante a madrugada, os moradores chegaram a ver um ladrão na frente da residência e, quando amanheceu, perceberam a falta de um botijão de gás cheio. A moradora enfatizou à polícia que para a retirada do botijão do local onde ficava armazenado era necessária a ação de mais de uma pessoa.

‘Campana’
Na madrugada desta quinta-feira (3), os moradores estavam acordados, já à espera de alguma ação criminosa, e deixaram o portão da residência sem o cadeado. Quando ouviram os latidos dos cachorros de um imóvel vizinho, viram a mulher de 24 anos já dentro do quintal da casa, a caminho da porta de entrada.

A indiciada foi perseguida e capturada pelas vítimas, e permaneceu detida no local até a chegada da polícia.

Com a mulher, havia um aparelho de telefone celular que tinha sido furtado do imóvel no domingo (30). No aparelho, a foto de capa mostrava a vítima usando um par de óculos escuros também furtado na mesma ocasião.

Segundo o Boletim de Ocorrência, a mulher flagrada no quintal foi encaminhada à Delegacia Participativa e, quando interrogada pela Polícia Civil, confirmou que entrou na residência à procura de algo para subtrair. Ela negou a prática dos furtos anteriores e alegou ter comprado o celular por R$ 10 de um outro indivíduo.

O celular foi apreendido para análise pericial.

A Polícia Civil decretou a prisão em flagrante da indiciada.

Além disso, ainda representou à Justiça pela conversão da prisão em flagrante em prisão preventiva.

“Considerando-se que o celular e o óculos em posse da indiciada são indícios que apontam a prática do primeiro furto, também cometido durante o repouso noturno, este ainda qualificado pela escalada, eis que naquela data o portão da residência estaria com cadeado e a vítima viu a pessoa que furtou se evadindo pelo muro, que considerado o segundo furto, resta evidente que a indiciada é furtadora contumaz, bem como não tem atividade lícita e é usuária de drogas, portanto, se solta, encontrará os mesmos estímulos para voltar a delinquir, ou seja, continuará a vagar pelas ruas em busca de alvos fáceis de serem subtraídos (mediante violência ou não), como estava fazendo no caso em questão, assim alimentando a epidemia de crimes contra o patrimônio cometidos por usuários de droga e que é causa de alarmante sensação de insegurança na sociedade atualmente, motivo pelo qual, neste momento, a segregação cautelar do indiciada é necessária à garantia da ordem pública”, argumentou a Polícia Civil. Fonte: G1

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por BCN

Veja Também

Transporte público funciona parcialmente em dia de paralisação

Manifestantes voltam às ruas do país Diversas cidades brasileiras registram hoje (14) mani…