Home Violência Assassinato de Jessika Lainara completa um mês; PM que matou ex-namorada é réu por feminicídio

Assassinato de Jessika Lainara completa um mês; PM que matou ex-namorada é réu por feminicídio

4 primeira leitura
0

Ronan Menezes do Rego está em ala para policiais na Papuda. Não há prazo para julgamento.

 

 

A morte da estudante Jessyka Lainara, assassinada pelo ex-namorado – um policial militar –, completa um mês nesta segunda-feira (4). Ronan Menezes do Rego está preso por tempo indeterminado, em uma ala reservada para policiais na Penitenciária da Papuda.

O inquérito foi concluído, e o PM denunciado. Ele é réu por feminicídio e tentativa de homicídio, no entanto, ainda não há prazo para o julgamento, que vai ocorrer no Tribunal do Júri.

De acordo com o Ministério Público, o militar agiu com a arma da corporação, sem dar chances de defesa à vítima e por motivo fútil. A advogada dele, Raquel Costa Ribeiro Dinofre, não se manifestou.

Marcha em homenagem a Jessyka Laynara, em Ceilândia, no DF (Foto: TV Globo/Reprodução)

Marcha em homenagem a Jessyka Laynara, em Ceilândia, no DF (Foto: TV Globo/Reprodução)

Denúncia recebida

De acordo com o juiz Tiago Pinto Oliveira, existem provas da materialidade do fato e indícios suficientes que justifiquem abrir e sustentar o processo contra o militar. A decisão é do dia 21 de maio.

Esta é uma das primeiras partes do processo. Neste caso, o juiz apenas verificou que há base legal na denúncia – sem considerar o mérito do caso. Os jurados só são chamados para o dia do julgamento a fim de determinar a sentença, depois que o magistrado “adianta” todas as outras questões legais.

Transcrição do áudio enviado por Jéssyka à amiga (Foto: TV Globo/Reprodução)

Transcrição do áudio enviado por Jéssyka à amiga (Foto: TV Globo/Reprodução)

Relembre

Jessyka foi morta dentro de casa, na frente da avó e do primo. Ronan disparou cinco tiros. Duas semanas antes de ser assassinada pelo ex-namorado, a jovem, de 25 anos, enviou um áudio a uma amiga contando que não conseguia andar porque tinha levado socos no estômago e chutes nas pernas.

Jessika Laynara, 25 anos, enviou fotos à amiga para mostrar marca de agressões (Foto: TV Globo/Reprodução)

Jessika Laynara, 25 anos, enviou fotos à amiga para mostrar marca de agressões (Foto: TV Globo/Reprodução)

 

Depois de matar Jessyka, ainda naquele dia, o policial foi até a academia frequentada pela ex-namorada e atirou no professor Pedro Henrique Torres, de 29 anos. Pedro passou por cirurgia e se recupera, em casa.

Ronan estava de folga, sem farda, mas usou uma pistola da corporação para cometer o crime. A família da vítima diz que ele agiu por ciúmes.

Fonte: G1

Carregar mais por Violência

Veja Também

Preços de produtos da ceia de Natal têm variação de até 210% em Vitória, diz Procon

Foram comparados os valores de 85 itens de diferentes marcas. O preço das nozes foi o que …