Getúlio Pinheiro foi preso na manhã de domingo (15) no bairro João Eduado II, em Rio Branco. Ele seria responsável por matar três pessoas na região conhecida como Morro do Marrosa e um mecânico no bairro Calafate.

 

A Polícia Civil do Acre prendeu, na manhã de domingo (15), Getúlio de Souza Pinheiro, de 30 anos, por tráfico de drogas, assalto e homicídios. Pinheiro tem condenação de mais de 8 anos por estupro de vulnerável. A prisão ocorreu no bairro João Eduardo II, em Rio Branco. Na mesma ação, a polícia conseguiu recuperar a arma e o distintivo do policial federal sequestrado na noite do dia 10 deste mês.

O acusado foi apresentado na manhã desta segunda-feira (16) na Divisão de Investigação Criminal (DIC). Ainda segundo a polícia, Pinheiro era investigado por matar Jhone da Silva Lopes, Joy Stefano Costa Gonçalves e Noêmia Teixeira Valente, de 34 anos, no dia 13 de setembro, no bairro Volta Seca, local conhecido como Morro do Marrosa.

Além do triplo homicídio, Pinheiro seria o responsável pela morte de Luís Antônio Ramires, morto com dois tiros na cabeça no último dia 10 no bairro Calafate. Na casa do acusado a polícia encontrou duas pistolas, drogas, cerca de R$ 1,6 mil em dinheiro e material para preparar entorpecentes. As roupas utilizadas nos assassinatos também foram encontradas na residência de Pinheiro.

Polícia apreendeu dinheiro, armas, celulares, munições e drogas na casa do acusado (Foto: Aline Nascimento/G1)

Polícia apreendeu dinheiro, armas, celulares, munições e drogas na casa do acusado (Foto: Aline Nascimento/G1)

O delegado Cristiano Bastos confirmou que o acusado participou do sequestro e assalto de um policial federal. O carro do policial foi encontrado incendiado na Estrada do Quixadá. Mais duas pessoas foram presas na mesma ação pelo crime. A operação ocorreu em parceria com a Polícia Federal do Acre (PF-AC).

“Em dois homicídios já constatamos o veículo usado, conseguimos apreender ainda as roupas usadas nos crimes e também a arma de fogo do mesmo calibre que vai ser encaminhada para a perícia para fazer o exame balístico”, contou.

Sobre os homicídios, o coordenador da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegado Rêmulo Diniz, falou que Pinheiro é uma pessoa perigosa que pode estar envolvido em outros assassinados. Ele contou ainda que o acusado estava foragido do sistema prisional por ter estuprado uma menina de 12 anos em agosto de 2015.

“Era uma pessoa que vinha crescendo na facção que ele integra e estava desempenhado uma função de comando. Foi preso em flagrante com a arma que utilizava na prática dos crimes, já temos provas contra ele, além da pistola que pertence à Polícia Federal”, complementou.

Fonte: G1

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn

Veja Também

Agência revela que divulgou campanha de Bolsonaro nas eleições por App

Empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para fazer, pelo What…