De todos os compositores nordestinos que vieram tentar a sorte profissional no eixo Rio de Janeiro-São Paulo ao longo dos anos 1970, em fluxo migratório que deu visibilidade nacional à música produzida acima da Bahia já com a influência da explosão pop da década de 1960, o pernambucano Geraldo Azevedo sempre foi o mais discreto, o mais afetuoso e o mais elegante. E um dos mais talentosos.

Sem a verborragia elétrica do conterrâneo Alceu Valença, a magnitude épica do paraibano Zé Ramalho, o temperamento esquentado do cearense Fagner e a retórica angustiada do também cearense Belchior (1946 – 2017), Geraldo Azevedo muitas vezes ficou à sombra desses colegas proeminentes.

Tal quietude jamais impediu que o artista construísse obra relevante cuja grandeza salta aos ouvidos no CD ao vivo e DVD Solo contigo, recém-editados no mercado fonográfico pela gravadora Deck.

Geraldo Azevedo na gravação ao vivo do show ‘Solo contigo’ – Foto: Felipe Diniz / Divulgação

Nessa gravação ao vivo feita em 6 de setembro de 2018, em show de voz & violão na cidade do Rio de Janeiro (RJ), Geraldo Azevedo está a sós com o violão. Mas na companhia calorosa do público que segue há décadas a caravana do artista em busca da beleza melódica e poética entranhada em canções como Dia branco (Geraldo Azevedo e Renato Rocha, 1978), Chorando e cantando (Geraldo Azevedo e Fausto Nilo, 1986) e Você se lembra (Geraldo Azevedo, Pippo Spera e Fausto Nilo, 1996).

Sim, Geraldo Azevedo é das canções. É por isso que uma das mais belas baladas do arretado paraibano Chico César, Pensar em você (Chico César, 1999), cai tão bem na voz de Geraldo Azevedo nesse registro audiovisual de show. Assim como Veja (Margarida), obra-prima do também paraibano Vital Farias, lançada silenciosamente pelo autor em 1975, projetada por Elba Ramalho em 1979 e ora revivida, 40 anos depois, no canto doce e terno de Geraldinho, como o artista é carinhosamente chamado no meio musical.

Dentro da lavra autoral, as canções de Geraldo Azevedo têm um charme romântico que, vez por outra, é temperado com o sabor tropical da latinidade, fazendo Pernambucano se banhar nas águas do Caribe.

Capa do DVD 'Solo contigo', de Geraldo Azevedo — Foto: Divulgação / Deck
Capa do DVD ‘Solo contigo’, de Geraldo Azevedo – Foto: Divulgação / Deck

Neste CD ao vivo e DVD Solo contigo, elas – as canções – reinam soberanas em cena. Sem firulas. Sem aditivos, desnecessários quando a música é boa. As canções estão lá quase como vieram ao mundo. E isso basta.

Parece simples, e talvez seja mesmo, mas a simplicidade é atributo dos donos dos dons de fazer canções. Como Geraldo Azevedo. Fonte: G1

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Evelyn Agnes
Carregar mais por BCN

Veja Também

Com 153 pontos a mais, Virada Cultural de 2019 se espalhará para 250 locais em todas as subprefeituras de São Paulo

Bailarinas se apresentam na Virada Cultural de 2018 No ano passado, evento ficou mais no C…