Governo nomeia economista Flávio Basílio como novo secretário nacional de Segurança Pública

3 primeira leitura
0

O novo secretário nacional de Segurança Pública, Flávio Basílio, em imagem de 2016 (Foto: Divulgação/Ministério da Defesa)

 

Nomeação de Basílio foi publicada nesta quarta no ‘Diário Oficial da União’. Ele substitui o general Carlos Alberto dos Santos Cruz, que deixou o cargo para trabalhar como consultor da ONU.

 

 

O economista Flávio Basílio foi escolhido pelo governo para assumir a Secretaria Nacional de Segurança Pública. Assinada pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, a nomeação de Basílio foi publicada na edição desta quarta-feira (27) do “Diário Oficial da União”.

O novo secretário substitui o general Carlos Alberto do Santos Cruz, que deixou o cargo para trabalhar como consultor da Organização das Nações Unidas (ONU).

Vinculada ao Ministério da Segurança Pública, a secretaria é responsável pela Força Nacional de Segurança Pública, grupo de elite utilizado pela União em diferentes ações na área de segurança.

A força é composta por policiais militares, policiais civis, bombeiros militares, peritos, papiloscopistas da ativa ou aposentados, que são cedidos pelos estados, com salário ou adicional pagos pela União. Desde 2017 também participam das operações reservistas das Forças Armadas.

Perfil

Natural de Belo Horizonte (MG), Flávio Augusto Corrêa Basílio tem 35 anos. Doutor em economia, já atuou no Banco do Brasil e nos ministérios da Fazenda, Planejamento e Defesa.

O novo secretário já estava na equipe do Ministério da Segurança Pública, na função de secretário-executivo adjunto.

A pasta é comandada pelo ministro Raul Jungmann, com quem Basílio trabalhou no Ministério da Defesa, na função de secretário de Produtos de Defesa.

Fonte: G1

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Brasil

Veja Também

Investigação não encontrou evidências de que Trump obstruiu inquérito sobre Rússia, diz Barr

O secretário de Justiça e procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, disse nesta q…