Foto: Renato César Pereira

Nível do Cantareira mais baixo que no período pré-crise hídrica de 2014 preocupa especialistas; Sabesp nega que haverá racionamento.

 

 

 

Apesar de o nível de água do Sistema Cantareira estar pior que o do período anterior à crise hídrica de 2014, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) nega a possibilidade de racionamento de água e de uma nova crise hídrica.

A Cantareira é o maior reservatório de água da Região Metropolitana de São Paulo e abastece cerca de 7,5 milhões de pessoas por dia.

Em 2013, período pré-crise, o sistema Cantareira operava com uma média 44,11% de sua capacidade. Nesta quarta-feira (1º), o sistema operava com 39,6% de sua capacidade, o que já preocupa especialistas.

Desde o último domingo (29), o reservatório está em estado de alerta, quando a capacidade fica abaixo de 40% e a vazão precisa ser reduzida de 31 mil litros de água por segundo para 27 mil litros por segundo.

Se as chuvas não forem suficientes a partir de setembro, acredita-se na possibilidade de uma nova crise hídrica no ano que vem. Em maio de 2014, o volume do Sistema Cantareira atingiu 29,6% de sua capacidade e a Companhia passou a operar bombeando água de seu volume morto.

Sabesp diz que atual produção de água é ‘suficiente’

A Sabesp, porém, diz estar preparada para qualquer cenário. “Todas as condições criadas para maior segurança hídrica como obras, combate a perdas, consumo menor pela população e uma gestão eficaz dos sistemas permitem que a produção de água atual seja suficiente para atender a demanda de quase 20 milhões de pessoas na região metropolitana de São Paulo.”

A empresa informa que realizou 36 grandes obras, além de 1.000 intervenções de pequeno e médio portes nos últimos anos, que garantem o abastecimento.

Para o professor da USP Pedro Luiz Côrtes, essas obras dão um alento e reduzem um pouco o impacto de uma situação climática desfavorável, mas tudo depende do clima.

“A gente não pode negociar com as chuvas, por isso acho necessário reforçar para a população a real situação dos mananciais e os bons hábitos de consumo de água para reduzir o impacto de uma eventual crise. Com a Sabesp e o governo negando a gravidade da situação, há quem relaxe e acabe gastando mais”, diz o professor da USP Pedro Luiz Côrtes.

Vista da Represa do Rio Cachoeira, do Sistema Cantareira, em Piracaia (SP), neste sábado (28). O Sistema Cantareira opera com 40,0% de sua capacidade neste sábado (28), segundo a Sabesp (Foto: Renato César Pereira/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Vista da Represa do Rio Cachoeira, do Sistema Cantareira, em Piracaia (SP), neste sábado (28). O Sistema Cantareira opera com 40,0% de sua capacidade neste sábado (28), segundo a Sabesp (Foto: Renato César Pereira)

 

A Sabesp diz que não nega a gravidade da situação dos reservatórios de água. Em nota, acrescenta que “é essencial que a população mantenha sempre os hábitos de consumo consciente de água, evitando o desperdício, especialmente neste período de estiagem”.

“A entrada de água nas represas, principalmente a partir de abril, no Sistema Cantareira, tem ficado muito próxima das mínimas já registradas. Por isso é importante que os moradores economizem água sempre”, completa o comunicado.

Chuva ainda insuficiente para melhorar níveis

A chuva que vem atingindo a capital desde segunda-feira (30), depois de 46 dias de estiagem, ainda não é suficiente para aumentar o nível dos reservatórios. A quantidade de chuva de julho correspondeu somente a 37% do esperado para o mês, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE).

Em 2012, São Paulo passou por uma seca ainda maior, com 65 dias de estiagem. Em 2011, foram 42 dias de seca, segundo o Instituto Nacional de Metereologia (Inmet).

Segundo o engenheiro e professor José Roberto Kachel dos Santos, as condições hídricas do momento são similares às da crise hídrica de 2013 e 2014 em relação aos volumes acumulados nos reservatórios, mas tudo depende da chuva.

“Só se pode prever a possibilidade de racionamento após o período de chuvas que se inicia em outubro e vai até abril do próximo ano”, diz o professor.

Fonte: G1

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn

Veja Também

Polícia Civil prende por tráfico de drogas casal que ostentava vida de luxo em bairro da periferia de Presidente Epitácio

Dinheiro, celulares e documentos apreendidos pela Polícia Civil na residência do casal Dup…