Polícia inspeciona carro usado em ataque durante festa de Ano-Novo em Tóquio

Jovem de 21 anos disse ter cometido o atentado como protesto contra a pena de morte. Nove pessoas ficaram feridas, uma está em estado crítico

 

Nove pessoas ficaram feridas depois de um homem atropelar deliberadamente uma multidão que se reunia para comemorar o Ano-Novo em Tóquio, capital do Japão. Uma das vítimas está em estado crítico, segundo informações da rede de TV japonesa NHK.

O atentado ocorreu faltando 10 minutos para meia-noite, em uma rua comercial muito próxima do templo Meiji, local que reúne milhares de japoneses no Reveillon e no primeiro dia do ano.

Kazuhiro Kusakabe, 21, foi preso pela polícia 20 minutos depois de ter fugido da cena do crime. Segundo a rede de TV norte-americana CNN, o carro usado no ataque estava cheio de querosene. As roupas de Kukasabe também estavam impregnadas com o líquido, que é inflamável.

Protesto contra pena de morte

Ao ser preso, Kukasabe teria dito à polícia que se tratava de um atentado terrorista. Em seguida, mudou sua versão e afirmou que decidiu cometer o ataque com um protesto contra a pena de morte no Japão.

O suspeito também disse que o atropelamento seria uma retaliação à execução dos membros da seita Verdade Suprema, responsáveis pelo ataque com gás sarin no metrô de Tóquio em 1995.

Sete membros da seita foram executados em julho de 2018, entre eles o líder da Verdade Suprema, Shoko Asahara.

A última execução no Japão ocorreu no dia 27 de dezembro. Dois homens condenados à morte por homicídio foram enforcados.

Atualmente, há 100 pessoas no corredor da morte no Japão. O país é um dos poucos desenvolvidos no mundo que ainda pratica a pena capital — cuja aprovação entre a população continua alta, apesar das críticas internacionais. Fonte: R7

Veja Também

Mulher é presa após forjar sequestro em Viamão e pedir R$ 300 mil de resgate ao marido, diz polícia

Investigação do caso começou por volta do meio-dia de quarta-feira (16) e se estendeu até …