Home Bcn Ícone da pauliceia desvairada,Tatá Aeroplano concretiza ‘devaneios bucólicos’ nas viagens do álbum ‘Alma de gato’

Ícone da pauliceia desvairada,Tatá Aeroplano concretiza ‘devaneios bucólicos’ nas viagens do álbum ‘Alma de gato’

5 primeira leitura
Comentários desativados em Ícone da pauliceia desvairada,Tatá Aeroplano concretiza ‘devaneios bucólicos’ nas viagens do álbum ‘Alma de gato’
0
188

Lenda viva da pauliceia desvairada, Tatá Aeroplano sempre pautou a vida e a obra pela vivência na cidade de São Paulo (SP). Lançado nesta primeira semana de setembro de 2018, o quarto álbum solo desse cantor, compositor, DJ e agitador cultural, Alma de gato (selo Disco Voador / Tratore), é o resultado das experiências noturnas e caminhadas diurnas do artista pela Vila Romana, bairro paulistano onde Aeroplano pousou no fim de 2016.

No disco, Tatá Aeroplano apresenta oito músicas, caracterizadas por ele como “devaneios bucólicos”“mergulhos psicodélicos” e “viagens diferentes”. Os devaneios viraram realidade concreta, entre fevereiro e maio deste ano de 2018, quando Aeroplano se reuniu com os produtores Dustan Gallas, Junior Boca e Bruno Buarque – nomes recorrentes na discografia solo desse artista projetado nos grupos Cérebro Eletrônico (com o qual já gravou quatro álbuns) e Jumbo Elektro – para dar forma às oito músicas que compõem o repertório quase inteiramente autoral do álbum Alma de gato.

Capa do álbum 'Alma de gato', de Tatá Aeroplano (Foto: Luiz Romero)

Capa do álbum ‘Alma de gato’, de Tatá Aeroplano (Foto: Luiz Romero)

 

“Olhos nos olhos e miro no fundo da alma dos loucos“, aponta Aeroplano em verso de Cores no quarto (Tatá Aeroplano), música que contabiliza sete minutos e meio na abertura do disco. O discurso e o som de Alma de gato soa coerentes com a lira paulistana desfiada pelo artista nos anteriores álbuns individuais Tatá Aeroplano (2012), Na loucura & na lucidez (2014) e Step psicodélico (2006).

O título do atual álbum, Alma de gato, tem duplo sentido poético, se referindo tanto ao pássaro alma-de-gato – comum no céu das ruas e parques da região paulistana onde o artista mora atualmente, como Aeroplano reporta na letra da música que inspirou o nome do disco, Mil almas de gato (Tatá Aeroplano) – como ao espírito inquieto e independente dos gatos, o animal felino. “Mil almas-de gato sobrevoam os parques / E quase ninguém vê / No entanto existem mil almas / Mil gatos / Mil parques /Dentro de você”, contemporiza Aeroplano em um dos voos poéticos do álbum.

Tatá Aeroplano (Foto: Divulgação / Luiz Romero)

Tatá Aeroplano (Foto: Divulgação/Luiz Romero)

 

Na criação do repertório de Alma de gato, o compositor faz parcerias com Beto Antunes em O alienista da Vila Romana (faixa conceituada como “filme falado”), com Malu Maria em Os Novos Baianos sapateiam na garoa dos Sex Pistols e com Luiz Romero (autor das fotos promocionais do disco) em Deixa voar e em Hoje eu não sou.

Colorir de Carnavais é música feita por Aeroplano a partir de poema de Daniel Perroni Rato. Já Vida inteira é a única faixa de lavra alheia, sendo assinada por João Sobral, companheiro de Tatá Aeroplano na viagem de rota tão diurna quanto noturna que gerou o álbum Alma de gato.

Fonte: G1

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn
Comentários estão fechados.

Veja Também

60ª fase da Lava Jato: PF prende Paulo Preto e mira Aloysio Nunes

Ao todo, 46 agentes cumprem mandados de prisão e de busca e apreensão em São Paulo A Políc…