Foto: Reuters

Ministro propôs tribunal acima do STF, anistia ao caixa 2, SUS pago e chamou Ciro Gomes de ‘débil mental’

presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá (RR), usou as redes sociais para afirmar que as opiniões do ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) distribuída em mensagem a parlamentares do partido não representa o posicionamento oficial da legenda e são de “cunho pessoal”.

No domingo, 22, Marun enviou um texto a lideranças propondo uma forma de “leniência” ao caixa 2 praticado em eleições passadas e recomendou o fim da gratuidade total aos pacientes no Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, Marun afirmou que o governo vetou o apoio do Centrão a Ciro Gomes (PDT), chamando o presidenciável pedetista de “débil mental”.

Após a mensagem ser revelada, Marun divulgou uma nota afirmando que não teria usado a expressão se soubesse que se tornaria pública.

No Twitter, Jucá desautorizou Marun ao dizer que os posicionamentos defendidos pelo ministro não são do partido. “O ministro Marun é um membro ilustre do nosso partido, mas as suas posições são de cunho pessoal e não representam o posicionamento do MDB. A nossa proposta para as eleições é clara”, escreveu o senador.

O presidente da legenda reforçou que os documentos “Ponte para o Futuro”, elaborado em 2015, e “Travessia Social”, de 2016, definem as bases de propostas do partido e, no período eleitoral, o pré-candidato à Presidência Henrique Meirelles é o porta-voz dos posicionamentos do MDB.

Fonte: Notícias ao Minuto

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn