Nem na Seleção, Tite tem tantos profissionais para ajudá-lo. Osmar Loss e Coelho estão encostados. A situação é constrangedora, inexplicável

 

Jair Ventura herdou Osmar Loss e Coelho. E já tem o seu auxiliar de confiança

Jair Ventura herdou Osmar Loss e Coelho. E já tem o seu auxiliar de confiança

Agência Corinthians

 

São Paulo, Brasil

Emilio Faro, Osmar Loss, Fábio Felix e Dyego Coelho.

Nenhuma equipe do Brasil conta com quatro auxiliares técnicos.

Nem Tite, na Seleção, pode se dar a esse luxo.

Só o Corinthians.

Justo o clube que assumiu no último balanço, divulgado na semana passada, mais de R$ 500 milhões em dívidas, oferece para Jair Ventura, quatro funcionários subalternos.

O problema foi criado pela péssima avaliação de Andrés Sanchez. O presidente apostou que Osmar Loss estava pronto para comandar o futebol profissional. Ele acreditou que, se Fabio Carille saiu da base e conquistou o Brasileiro e dois Paulistas, o mesmo aconteceria com Loss.

Andrés já assumiu que acredita que o trabalho dos treinadores seja supervalorizado. Aposta que para um time ter sucesso, o segredo está nos jogadores.

Mas a realidade bateu à porta corintiana.

Nas mãos inexperientes e inseguras de Loss, vieram a eliminação da melhor competição de 2018, a Libertadores. Além da decadência no Brasileiro, com o time jogando cada vez pior. Veio o medo da queda também na lucrativa Copa do Brasil. Daí a contratação de Jair Ventura.

Só que que Andrés ficou constrangido em demitir Loss e também o ex-lateral Dyego Coelho, que também tirou da base, para trabalhar como auxiliar de Osmar. O clube chegou até a tirar Eduardo Barroca do comando do sub-20 do Botafogo para substituir Coelho.

Loss e Coelho. Agora, assistem tudo de longe. Estão sobrando

Loss e Coelho. Agora, assistem tudo de longe. Estão sobrando

Agência Corinthians

 

Jair Ventura já deixou claro a Andrés. Não faria como Carille. Seu auxiliar de total confiança e entrosamento tem nome e sobrenome. Emilio Faro. É ele com quem define o plano de jogo. Com quem viaja nas partidas fora de São Paulo. E com quem divide o banco.

Loss e Coelho passaram a ser auxiliares dos auxiliares. Dão, no máximo, palpites para Jair. Conversam com os jogadores, carregam material de treino. E só.

É um luxo constrangedor.

Para todos os envolvidos.

Loss e Coelho faziam ótimo trabalho na base.

Não pediram a promoção.

Mas Andrés Sanchez quis mostrar a força da estrutura do clube.

E se precipitou.

O Corinthians pagou com a Libertadores e a queda no Brasileiro.

Agora está segurando uma situação constrangedora.

Loss e Coelho estão colocados de lado por Jair Ventura.

Atitude completamente compreensível.

Loss. Demissão e perda total de poder no Corinthians. Virou auxiliar de auxiliar

Loss. Demissão e perda total de poder no Corinthians. Virou auxiliar de auxiliar

Agência Corinthians

 

Não são próximos, não se conheciam.

Conselheiros já começam a ficar incomodados.

A situação é bizarra.

E o Corinthians é quem arca com o erro de Andrés.

Quatro salários de auxiliares de um treinador.

Inconcebível…

Fonte: R7

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn

Veja Também

Investigação não encontrou evidências de que Trump obstruiu inquérito sobre Rússia, diz Barr

O secretário de Justiça e procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, disse nesta q…