Nem na Seleção, Tite tem tantos profissionais para ajudá-lo. Osmar Loss e Coelho estão encostados. A situação é constrangedora, inexplicável

 

Jair Ventura herdou Osmar Loss e Coelho. E já tem o seu auxiliar de confiança

Jair Ventura herdou Osmar Loss e Coelho. E já tem o seu auxiliar de confiança

Agência Corinthians

 

São Paulo, Brasil

Emilio Faro, Osmar Loss, Fábio Felix e Dyego Coelho.

Nenhuma equipe do Brasil conta com quatro auxiliares técnicos.

Nem Tite, na Seleção, pode se dar a esse luxo.

Só o Corinthians.

Justo o clube que assumiu no último balanço, divulgado na semana passada, mais de R$ 500 milhões em dívidas, oferece para Jair Ventura, quatro funcionários subalternos.

O problema foi criado pela péssima avaliação de Andrés Sanchez. O presidente apostou que Osmar Loss estava pronto para comandar o futebol profissional. Ele acreditou que, se Fabio Carille saiu da base e conquistou o Brasileiro e dois Paulistas, o mesmo aconteceria com Loss.

Andrés já assumiu que acredita que o trabalho dos treinadores seja supervalorizado. Aposta que para um time ter sucesso, o segredo está nos jogadores.

Mas a realidade bateu à porta corintiana.

Nas mãos inexperientes e inseguras de Loss, vieram a eliminação da melhor competição de 2018, a Libertadores. Além da decadência no Brasileiro, com o time jogando cada vez pior. Veio o medo da queda também na lucrativa Copa do Brasil. Daí a contratação de Jair Ventura.

Só que que Andrés ficou constrangido em demitir Loss e também o ex-lateral Dyego Coelho, que também tirou da base, para trabalhar como auxiliar de Osmar. O clube chegou até a tirar Eduardo Barroca do comando do sub-20 do Botafogo para substituir Coelho.

Loss e Coelho. Agora, assistem tudo de longe. Estão sobrando

Loss e Coelho. Agora, assistem tudo de longe. Estão sobrando

Agência Corinthians

 

Jair Ventura já deixou claro a Andrés. Não faria como Carille. Seu auxiliar de total confiança e entrosamento tem nome e sobrenome. Emilio Faro. É ele com quem define o plano de jogo. Com quem viaja nas partidas fora de São Paulo. E com quem divide o banco.

Loss e Coelho passaram a ser auxiliares dos auxiliares. Dão, no máximo, palpites para Jair. Conversam com os jogadores, carregam material de treino. E só.

É um luxo constrangedor.

Para todos os envolvidos.

Loss e Coelho faziam ótimo trabalho na base.

Não pediram a promoção.

Mas Andrés Sanchez quis mostrar a força da estrutura do clube.

E se precipitou.

O Corinthians pagou com a Libertadores e a queda no Brasileiro.

Agora está segurando uma situação constrangedora.

Loss e Coelho estão colocados de lado por Jair Ventura.

Atitude completamente compreensível.

Loss. Demissão e perda total de poder no Corinthians. Virou auxiliar de auxiliar

Loss. Demissão e perda total de poder no Corinthians. Virou auxiliar de auxiliar

Agência Corinthians

 

Não são próximos, não se conheciam.

Conselheiros já começam a ficar incomodados.

A situação é bizarra.

E o Corinthians é quem arca com o erro de Andrés.

Quatro salários de auxiliares de um treinador.

Inconcebível…

Fonte: R7

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn

Veja Também

Polícia Civil prende por tráfico de drogas casal que ostentava vida de luxo em bairro da periferia de Presidente Epitácio

Dinheiro, celulares e documentos apreendidos pela Polícia Civil na residência do casal Dup…