Home Bcn Notícias BCN Por que o efeito o Vitamina E é uma questão de sorte

Por que o efeito o Vitamina E é uma questão de sorte

5 primeira leitura
0

Há outro cuidado a se tomar com essa vitamina: o excesso de vitamina E pode ser pior do que sua carência.
[Imagem: CC0 Public Domain/Pixabay]

Quando a Vitamina E faz mal

 

Ela tem a fama de retardar o envelhecimento da pele, reduzir a degeneração das articulações no reumatismo e na artrite, e até mesmo proteger contra o câncer e as doenças cardiovasculares.

Por quase 100 anos, os cientistas vêm estudando os efeitos da vitamina E – cujo nome científico é alfa-tocoferol – e, em grande medida, esclareceram a base química de sua ação.

“A vitamina E é um antioxidante. Ela neutraliza os radicais livres que danificam as células,” resume o professor Andreas Koeberle, da Universidade Friedrich Schiller (Alemanha), embora deixando de lado o necessário alerta sobre o equilíbrio necessário entre antioxidantes e radicais livres no organismo.

No entanto, embora seus mecanismos de ação tenham sido suficientemente corroborados em modelos celulares e animais de laboratório, a vitamina E até agora não conseguiu convencer em estudos clínicos – em outras palavras, não adianta tomar suplementos de vitamina E.

“Aqui, encontramos resultados muito heterogêneos,” detalha Koeberle. “Não é apenas que os efeitos positivos muitas vezes não se manifestam tão fortemente quanto o esperado, mas às vezes a administração da vitamina E na verdade tem efeitos prejudiciais.”

Por que a Vitamina E pode fazer mal

O Dr. Koeberle e seus colegas descobriram agora uma possível causa para os problemas com os suplementos de vitamina E em um amplo estudo interdisciplinar realizado com cientistas da Áustria, França e Itália.

Eles descobriram que o efeito da vitamina E, quando tomada como um comprimido ou cápsula, não é baseado na vitamina em si, mas sim no efeito de um metabólito, uma substância chamada alfa-carboxicromanol.

O alfa-carboxicromanol é produzido no fígado, mas o nível do metabólito no sangue varia amplamente de uma pessoa para outra.

Em outras palavras, seria necessário fazer um exame – que ainda não está disponível – para ver quais pessoas poderiam se beneficiar de tomar suplementos de vitamina E, e quais poderiam seriam prejudicadas por eles.

“Se o efeito da vitamina E depende de quanto do metabólito bioativo é produzido, isso explica muito bem porque a mesma quantidade de vitamina E tem um efeito particular em uma pessoa e talvez um efeito muito mais limitado em outra.

“Se primeiro caracterizarmos o metabolismo de um paciente, será possível obter sucesso terapêutico – e não apenas com vitamina E – com uma precisão muito maior,” disse o pesquisador Oliver Werz, membro da equipe, que publicou suas conclusões na revista Nature Communications.

Fonte: Diário da Saúde

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por BCN

Veja Também

Polícia Civil prende por tráfico de drogas casal que ostentava vida de luxo em bairro da periferia de Presidente Epitácio

Dinheiro, celulares e documentos apreendidos pela Polícia Civil na residência do casal Dup…