Putin e Trump realizarão cúpula em terceiro país em breve, diz assessor do Kremlin

3 primeira leitura
0

Foto: Reprodução/Internet

 

MOSCOU (Reuters) – Rússia e Estados Unidos concordaram que os presidentes Vladimir Putin e Donald Trump irão se encontrar em breve, disse o assessor de política externa do Kremlin, Yuri Ushakov, nesta quarta-feira.

Ushakov, falando depois que Putin se encontrou com o assessor de segurança nacional dos Estados Unidos, John Bolton, disse que a cúpula será realizada em um terceiro país conveniente para ambos, e que ainda serão necessárias diversas semanas para preparar a reunião.

“Essa reunião tem sido planejada há muito tempo”, disse Ushakov. “Tem enorme importância para a Rússia e para os Estados Unidos, mas (também) tem enorme importância para toda a situação internacional. Acho que será o principal evento internacional do verão (do hemisfério norte)”.

A cúpula provavelmente irritará aliados dos Estados Unidos que querem isolar Putin, como o Reino Unido, ou países que estão preocupados com a atitude de Trump em relação à Rússia.

A reunião também deve ser mal recebida entre críticos internos e estrangeiros que questionam o comprometimento de Trump com a Otan e se preocupam com o desejo do presidente dos Estados Unidos de retomar laços com Moscou ao mesmo tempo que Washington intensifica as sanções contra o país.

Ushakov disse que Moscou e Washington irão anunciar a data e local da cúpula na quinta-feira. Detalhes adicionais ainda precisam ser elaborados, acrescentou.

A reunião deve ser realizada depois que Trump participar de uma cúpula da Otan e visitar o Reino Unido no mês que vem. Uma autoridade graduada norte-americana disse na terça-feira que a capital da Finlândia, Helsinque, está sendo considerada como local.

Fonte: Reuters

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Internacional

Veja Também

Investigação não encontrou evidências de que Trump obstruiu inquérito sobre Rússia, diz Barr

O secretário de Justiça e procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, disse nesta q…