Foto: Rodrigo Paneghine

Sérgio Sobrane elogiou os homens, mulheres e cães que trabalharam por 13 dias no Largo do Paissandu

 

Por Rodrigo Croos e Rodrigo Paneghine

O secretário-adjunto da Segurança Pública, Sérgio Turra Sobrane, participou, na manhã desta segunda-feira (11), de uma sessão solene em homenagem ao Corpo de Bombeiros, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

A homenagem foi proposta pelo deputado estadual Coronel Camilo em reconhecimento à atuação dos policiais no incêndio no prédio do Largo do Paissandu.

“Recebam os agradecimentos em meu nome, no do secretário Mágino Alves Barbosa Filho, e em nome do governador Márcio França”, afirmou Sobrane. “A prontidão dos heróis do fogo garantiu que a tragédia fosse minimizada. Se não fosse o heroísmo dos bombeiros, o ocorrido poderia ter sido pior”.

Os profissionais que atuaram na ocorrência receberam a Medalha da Constituição – uma das mais altas honrarias concedidas pela Alesp. A comenda é dada àqueles que se destacam em serviços de assistência à população.

Do posto Vila Mariana, do 1º Grupamento de Bombeiros (GB), foram agraciados os sargentos Diego Pereira da Silva Santos e Caio Salgado Cora, com os soldados Esio Lemes Beirigo, Everton Henrique Santos de Freitas e Luciano Fernandes da Silva Costa.

Ainda do 1º GB, do Posto Ipiranga, os cães que ajudaram na busca por sobreviventes também receberam a medalha simbólica “Cão Herói” e diversos petiscos. Foram condecorados os pastores Belga de Malinois Hope, Moly e Vasty, e os labradores Sarah e Wiki.

Também foram homenageados os comandos de policiamento de Trânsito (CPTran), de Choque (CPChq) e de Área Metropolitano 1 (CPA/M-1), que ajudaram no incêndio.

A ocorrência

Na madrugada do dia 1º de maio, durante um incêndio, o Edifício Wilton Paes de Almeida desabou no Largo do Paissandu, centro da Capital. Cerca de 500 bombeiros se deslocaram para o local oferecendo ajuda. Muitos, mesmo de folga, fizeram questão de comparecer.

Emocionado, o comandante-geral da PM, coronel Marcelo Vieira Salles, ressaltou a delicadeza da situação. “A ocorrência envolveu famílias humildes. Este é um problema social que nós paulistas temos que olhar e a ação dos heróis do fogo fez a diferença. Todo o Estado de São Paulo deve muito a estes homens e mulheres do Corpo de Bombeiros”.

Foram 13 dias consecutivos de buscas por sobreviventes e retiradas dos escombros. Mais de 1.700 bombeiros atuaram 24 horas por dia no incêndio que causou o desabamento do edifício de 22 pavimentos.

“Ações como essa mostram porque o Corpo de Bombeiros tem 97% de aprovação entre as profissões”, afirmou o comandante da corporação, coronel Eduardo Rodrigues Rocha. “Contem sempre com os bombeiros, que estão sempre preparados para proteger a população, mesmo que com o sacrifício da própria vida.

As investigações sobre as causas do desabamento continuam pelo 3º Distrito Policial (Campos Elíseos), que encaminhou o inquérito à Justiça, na última quarta-feira (6), com pedido de prazo para continuidade das investigações.

Fonte: SSP SP
Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Cidade

Veja Também

Agência revela que divulgou campanha de Bolsonaro nas eleições por App

Empresas brasileiras contrataram uma agência de marketing na Espanha para fazer, pelo What…