Todos os animais são iguais mas alguns são mais iguais que os outros

 

Alguns não querem mesmo largar o osso. O Planalto vem alardeando a reforma da Previdência como um combate a privilégios e “a favor da igualdade”.

Mas não é assim que funciona. Ontem mesmo, após encontro com Rodrigo Maia, o diretor da Polícia Federal disse que os agentes não podem “perder direitos” com as mudanças propostas pelo governo.

O principal ponto é a idade mínima para a aposentadoria. Enquanto para o brasileiro comum é 65 anos, policiais poderão se aposentar com 55 anos, de acordo com a proposta mais enxuta. Com salário integral. Para Segovia, não é o suficiente.

Curioso é que na página especial para a reforma feita pelo Governo, há o seguinte texto: “A população brasileira não aceita mais que uma parcela da população pague pelo privilégio de poucos”. Faz sentido.

Fonte: Veja

Veja Também

Coreia do Norte está comprometida com desnuclearização completa e encontro com Trump, diz Coreia do Sul

SEUL (Reuters) – O líder norte-coreano Kim Jong Un reafirmou seu compromisso de “com…