Andrés Cunha, do Uruguai, árbitro da partida, foi bastante criticado por dirigentes e diretoria do Cruzeiro

Não utilização do VAR pelo árbitro foi uma das maiores reclamações do Cruzeiro

 

Uma das principais reclamações dos jogadores e da comissão técnico do Cruzeiro, ne eliminação contra o Boca Juniors, pela Copa Libertadores, na quinta-feira, foi a não utilização do árbitro de vídeo (VAR), pelo ártbitro do confronto, Andrés Cunha, do Uruguai, em vários lances polêmicos durante da partida.

Mas segundo o jornalista Hernán Castillo, da TNT Sports na Argentina, o árbitro não utilizou o VAR porque o equipamento não funcionou. “Na partida de ida das quartas de final houve, mas no jogo de volta, não houve, porque não se pode utilizar. Não sei porque, não sei tecnicamente o que aconteceu, mas não se pode utilizar”, disse, em um programa de televisão do país..

Mas um impedimento de Barcos foi flagrado pelo auxiliar e o juiz voltou atrás na marcação da penalidade. O clube mineiro ainda se queixou da expulsão de Dedé devido a um segundo cartão amarelo recebido, na etapa final. Com o resultado, empate por 1 a 1, o time mineiro acabou eliminado da Copa Libertadores, e o Boca Juniors segue na competição, e encara o Palmeiras, na semifinal. Na outra semifinal, Grêmio e River Plate se enfrentam.

Fonte: Mg. Super Esportes

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn

Veja Também

Transporte público funciona parcialmente em dia de paralisação

Manifestantes voltam às ruas do país Diversas cidades brasileiras registram hoje (14) mani…