Home Internacional Son, astro do futebol sul-coreano, pode ter de trocar a bola pelo fuzil

Son, astro do futebol sul-coreano, pode ter de trocar a bola pelo fuzil

5 primeira leitura
0

Son Heung-Min precisa de uma classificação quase impossível da Coreia do Sul na Copa para tentar fugir do serviço militar obrigatório em seu país

 

 

A guerra das Coreias é o conflito mais longo da história recente. Já dura cerca de 50 anos e não poupa ninguém. Nem mesmo o maior astro do futebol sul-coreano na atualidade, Son Heung-Min.A expectativa sempre presente de um conflito possa começar a qualquer momento faz com que todos os homens sul-coreanos sejam obrigados a prestar ao menos dois anos de serviço militar. Sem exceção.

Essa regra tão restrita pode interromper o futuro brilhante de Son, o jogador da seleção e astro do Tottenham da Inglaterra.

Escalado para todos os jogos — com exceção de um — na última temporada do campeonato inglês, Son tinha um acordo com o governo de seu país: caso a seleção sul-coreana chegasse às oitavas de finais, ele estaria livre de prestar o serviço militar obrigatório.

O desejo de Son continuar no futebol, no entanto, parece cada vez mais longe de se realizar depois da derrota para o México no último sábado (23), por 2 a 1.

Para seguir na Copa do Mundo da Rússia e atuando no futebol europeu, o time da Coreia do Sul precisa de uma combinação delicada de resultados na próxima rodada. É necessário vencer a atual campeã mundial, a  Alemanha por no mínimo, 2 gols de diferença e que a Sérvia perca do México.

Outras possibilidades

No sábado, após a derrota para o México, a seleção foi visitada nos vestiários pelo presidente do país Moon Jae-in. Foi então que Son se deu conta de que sua vida nos campos está em risco e chorou em frente ao líder sul-coreano.

Contudo, ainda existem outras possibilidades para o meia-campista. A Coreia do Sul concede exceções na prestação do serviço para cidadãos que enalteçam o país com algum grande mérito.

Logo, caso o time sul-coreano vença os Jogos Asiáticos que serão disputados em agosto deste ano na Indonésia.

Uma medalha nas Olimpíadas também é considerada, no entanto, esta já está fora de cogitação para Son. O jogador tem 26 anos e precisa cumprir os 21 meses de serviço obrigatório antes de completar 28 anos. Na próxima edição das Olimpíadas, Son já teria a idade máxima.

A última chance para Son continuar atuando no esporte é um pedido reforçado pela torcida: que o Tottenham peça a sua cidadania inglesa. Neste caso, no entanto, Son seria considerado um fugitivo e jamais poderia voltar à Coreia do Sul.

A guerra da Coreia foi uma das mais sangrentas da história, principalmente por sua duração. Em três anos morreram pelo menos 5 milhões de pessoas. Neste momento, a guerra, que ainda não terminou formalmente, pode enfim ser encerrada com um acordo entre Seul e Pyongyang, que vem sendo negociado pelas autoridades dos dois países, segundo informou o site sul-coreano Munhwa, nesta terça-feira (17)

Foto: Getty Images

A guerra da Coreia foi uma das mais sangrentas da história, principalmente por sua duração. Em três anos morreram pelo menos 5 milhões de pessoas. Neste momento, a guerra, que ainda não terminou formalmente, pode enfim ser encerrada com um acordo entre Seul e Pyongyang, que vem sendo negociado pelas autoridades dos dois países, segundo informou o site sul-coreano Munhwa, na terça-feira (17).

Fonte: R7

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Internacional

Veja Também

Polícia Civil prende por tráfico de drogas casal que ostentava vida de luxo em bairro da periferia de Presidente Epitácio

Dinheiro, celulares e documentos apreendidos pela Polícia Civil na residência do casal Dup…