Corpo de PM foi encontrado em área de invasão.

Um homem suspeito de participar do homicídio do Policial Militar Paulo Sérgio Portilho, em maio deste ano, foi preso na manhã desta segunda-feira (14), segundo a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). William Paiva Cavalcante, de 21 anos, não ofereceu resistência.

Policiais que realizaram a prisão cumpriram mandado de prisão expedido pela Justiça.

Ao todo, 15 pessoas foram identificadas suspeitas de envolvimento no crime. Polícia Civil divulga fotos de foragidos suspeitos.

A prisão foi efetuada por policiais da Secretaria Executiva-Adjunta de Operações Integradas (Seaop), na Rua T2 no bairro Compensa, zona Oeste da capital, após denúncias ao 181, Disque-Denúncia da SSP-AM, que indicavam a localização dele.

De acordo com o secretário executivo-adjunto de Operações Integradas, Orlando Amaral, o preso falou que atuou como ‘olheiro’ no dia do crime.

“Ele deu detalhes do crime, mas nega a participação e disse que só presenciou. Mas de acordo com os depoimentos dos demais, que já estão presos, o “Sorriso” foi um dos principais envolvidos, agindo diretamente na morte do PM. Para tentar escapar da polícia ele alternava o esconderijo entre a casa de familiares e comparsas”, disse o delegado por meio da assessoria de imprensa.

O suspeito foi encaminhado para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) para prestar depoimento sobre o caso.

Crime

O soldado Paulo Sérgio Portilho despareceu no dia 26 de maio, após sair de casa para o trabalho de segurança em uma pizzaria. Após quatro dias de buscas a polícia localizou o corpo do PM na invasão Vovó Maroca, na zona

Norte de Manaus.

“Ele saiu de moto para trabalhar na sexta-feira a noite e não retornou no sábado. No fim de semana ele faz serviço numa pizzaria, que fica perto do Tarumã, mas ele não chegou lá”, disse a irmã do policial, a técnica de laboratório Márcia Cristian da Silva, de 37 anos.

A familiar explicou que o policial trabalha no Comando Geral no bairro Petrópolis, na Zona Sul, e no fim de semana presta serviço na pizzaria. “Nem ele e nem a moto foram encontrados. Está todo mundo atrás. Já nos falaram que começaram a puxar nas câmeras para ver o trajeto dele”, disse a irmã.

Fonte: G1

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Bcn

Veja Também

Transporte público funciona parcialmente em dia de paralisação

Manifestantes voltam às ruas do país Diversas cidades brasileiras registram hoje (14) mani…