‘Torre de Babel’, Bélgica adota o inglês e busca campanha histórica

5 primeira leitura
0

A disputa entre falantes do francês do holandês já causou problemas e atritos na seleção em outras oportunidades

 

 

Representante de um país multicultural, com três idiomas diferentes (francês, holandês e alemão) e com um técnico espanhol, Roberto Martínez, que fez toda sua carreira no futebol da Inglaterra, a seleção da Bélgica adotou o inglês como idioma oficial. Tudo para facilitar a comunicação em uma “Torre de Babel” que tem ainda o ex-jogador francês Thierry Henry como assistente técnico.

“Não tem problema nenhum. Somos a Bélgica. Estamos todos juntos e nos entendemos bem”, afirmou o meio-campista Axel Witsel, que atualmente atua no Tianjin Quanjian.

A disputa entre falantes do francês do holandês já causou problemas e atritos na seleção em outras oportunidades, assim como polêmicas extracampo, que sempre acabaram por minar a equipe.

Desta vez, se livrar dos problemas e de tudo que possa interferir no desempenho do gramado é um mantra implantado por Martínez e bem assimilado pelos jogadores.

A não convocação de Radja Nainggolan, um dos destaques da Roma e novo reforço da Inter de Milão, foi algo que gerou muitas discussões e foi tema de perguntas mais uma vez na sexta-feira (22), véspera do duelo com a Tunísia neste sábado (23), em Moscou.

“Não vou responder a essa pergunta. Estamos aqui para falar do jogo de amanhã”, disse Witsel. “Somos um time de futebol, somos um grupo e não queremos encher páginas de jornais com histórias erradas”, disse Martínez, que assumiu o comando da equipe substituindo a Marc Wilmots após a Eurocopa de 2016, quando a Bélgica não conseguiu passar das quartas de final.

Badalada por contar com uma geração de atletas talentosas como Eden Hazard, Kevin de Bruyne, Yannic Carrasco, Romelu Lukaku, entre outros, a Bélgica estreou bem na Copa com uma vitória por 3 a 0 sobre o Panamá.

Depois da Rússia, foi a cabeça de chave com triunfo mais tranquilo.

Mas para Martínez toda a badalação deve ficar de lado.

“A Copa do Mundo não respeita gerações, nomes individuais. A Copa do Mundo só respeita times vencedores. Estamos evoluindo bem”, disse o treinador.

O espírito coletivo pregado por Martínez é tamanho que ele não quer Lukaku pensando em ser artilheiro da Copa após fazer dois gols na estreia.

“Ele não está aqui para ser artilheiro. Ele está aqui para ajudar o time a ganhar e cumprir seu papel. E seu papel é fazer gols”, disse.

Uma vitória neste sábado praticamente garante a Bélgica nas oitavas de final da Copa.

Em Mundiais, a Bélgica tem como melhor resultado o quarto lugar na Copa de 1986.

Fonte: Notícias ao Minuto

Carregar Mais Artigos Relacionados
Carregar mais por Redação BCN
Carregar mais por Esportes

Veja Também

Investigação não encontrou evidências de que Trump obstruiu inquérito sobre Rússia, diz Barr

O secretário de Justiça e procurador-geral dos Estados Unidos, William Barr, disse nesta q…